Quando a arte enxerga a ciência bem de perto

Na Filadélfia, Estados Unidos, um homem ganhou fama com uma câmera macro e a criatividade. Fugindo de certas limitações de sua área, o bioquímico e farmacêutico Linden Glendhill optou por embarcar em uma forma de arte para traduzir noções que poderiam ser lidas em livros.

Padrões descritos e materiais que poderiam ser imaginados foram registrados pela câmera macro de Glendhill. Conhecida pelo seu zoom quase perfeito, a macro é capaz de detectar detalhes não capturados pelo olho nu, como os padrões das asas de borboletas, gotículas de tinta reagindo à vibrações ou superfícies inimagináveis.

 

Podemos pensar que qualquer um poderia ter se dado ao trabalho de comprar uma macro e aproximá-la de coisas aleatórias para registro. Mas esse pensamento é controverso quando adicionamos o fator criativo. Linden Glendhill usou de sua percepção artística para o registro, ou seja, nada foi involuntário. A união de seus conhecimentos foi essencial para a realização de seu projeto. Como bioquímico e farmacêutico este cientista sabe bem de reações, padrões e fórmulas. 

 

Como artista, ele alcança um pouco mais tangivelmente a subjetividade da realidade percebida. Quando se sabe como algo acontece e torna-se possível escolher adequadamente a maneira de trazê-la à público, elabora-se novas linhas de pesquisa e vanguardas artísticas. Os padrões capturados por Glendhill inspiraram camisas, e rendeu-lhe trabalhos em campanhas de publicidade, além de entrevistas e seu perfil no Flickr reconhecido por diversos artistas 

 

Um de seus últimos trabalhos, feito por diversão, foi capturar as formas de líquidos reagindo à vibração de uma pequena caixa de som. Seu registro evidenciou padrões singulares que não eram vistos em conformidade com as batidas. Normalmente observamos o que pode ser entendido como ritmo básico e monótono, mas quando nos aproximamos macroscopicamente, um outro mundo bem diferente se revela em nossa frente.

 

 

Referências para esse Post: http://kids.pplware.sapo.pt/curiosidades/fotografo-mistura-arte-ciencia-e-loucura/

 

 

Facebook
Twitter
Please reload